ELIZABETH  NAKATA

Signos em 2017

Signos em 2017

ALMAS  GEMEAS

          A quase totalidade das pessoas procura pelo parceiro ideal, pelo par perfeito, alguém com quem viverá um conto de fadas com final feliz. Mesmo aquelas que são menos sonhadoras, com os pés bem fincados na terra, imaginam viver uma relação gratificante e harmoniosa. Esse desejo acabou criando o mito da existência da metade da laranja, da alma gêmea, do par perfeito, formando um casal harmônico, onde as brigas não existam e o relacionamento seja vivido num mundo paradisíaco e, porque não dizer, utópico.

          Como nas piadas, existem duas notícias, uma boa e outra ruim. A boa é que existem, sim, almas gêmeas, e, a ruim, que encontrá-la não é tarefa fácil e, tendo essa sorte, a convivência não é absolutamente pacífica ou tranqüila. As explicações mais convincentes acerca do assunto são aquelas encontradas na Cabalá e que respondem a maioria das perguntas corriqueiras que são feitas quando se trata de relacionamento afetivo.

          Primeiramente, é bom que se diga que todas as pessoas têm sua alma gêmea. Na verdade tem duas, e mais à frente virá a explicação. O relacionamento de almas gêmeas é instigador, pois a relação entre elas deve ser de crescimento, de complemento, de compartilhar. Cai aqui a primeira (falsa) idéia de que o relacionamento perfeito é aquele em que ambos são tão parecidos que não brigam jamais, pois pensam igual, reagem da mesma forma. Essa não é uma relação de alma gêmea, mas sim de duas pessoas quase iguais, onde nenhuma ensina ou aprende com a outra; há uma estagnação, como um tanque com água parada. O que ocorre com essa água? Ela apodrece, a vida vai desaparecendo, o oxigênio acabando.

          Almas gêmeas são diferentes mas não antagônicas; são distintas, mas complementares. Podem ser de religiões conflitantes, crenças opostas, com grande diferença de idade, cultura ou origem econômica díspares. Isso porque foram criadas para que se encontrem e se relacionem de forma a crescerem individualmente. O parceiro acrescenta, ensina e a relação é uma rua de mão dupla. Claro que atritos e divergências existirão, mas serão entendidos e superados, possibilitando a convivência rica.

          Como identificar a alma gêmea? Quando há o encontro e a primeira troca de olhares, a tal química acontece, a eletricidade é sentida. Há uma sensação boa de fatalidade, do destino sendo acionado, de familiaridade pois as duas almas se reconhecem e se alegram pelo reencontro. Começa aqui a relação frutífera, de opostos que não se repelem, ao contrário, se atraem e se completam. Vem a vontade de compartilhar cada minuto, cada pensamento, cada novidade aprendida. É uma relação estimulante, onde um vibra com o êxito do outro, e o que obteve sucesso reconhece que só o atingiu porque foi incentivado pelo parceiro. Ambos aprendem, ensinam, agradecem e são generosos.

          Chegou a hora de explicar a diferença entre as duas almas gêmeas que cada pessoa tem. Uma é a alma gêmea de frente e a outra a de costas. Geralmente nos deparamos primeiro com a de costas. Como saber a diferença? O início do relacionamento é praticamente o mesmo, com a química sendo acionada e a eletricidade ligada. O casal se une e tudo parece ir às mil maravilhas, mas, aos poucos, a intransigência se estabelece, as cobranças se sucedem e surgem duas alternativas possíveis, ou a separação ou a convivência relativamente pacífica, com um dos cônjuges se submetendo ao outro, fazendo concessões constantemente e aí nenhum dos dois cresce com essa relação. Também pode ocorrer a infidelidade ou mesmo agressões verbais ou físicas.

          A curiosidade acerca do assunto é grande e existe a necessidade de descobrir as pistas que levarão a essa re-união feliz. Voltar a se unir àquela pessoa que formava o par, e da qual foi separada para poder desenvolver as qualidades individuais. O reencontro, muito tempo depois, possibilitará a vivência plena e o crescimento máximo. A astrologia consegue identificar algumas dessas pistas e auxiliar o casal a saber onde, e como, podem crescer como parceiros. A sinastria, que é a comparação e interação de duas pessoas representadas por seus mapas natais, analisa o potencial da relação. Entre alguns itens, a análise do Vertex tem um peso grande.

          A procura continua e continuará, porque, segundo a Bíblia, “não é bom que o homem esteja só”. Filósofos afirmam que o homem é um ser social. Alguns renunciam a essa tendência natural e tornam-se celibatários, dedicando todo o potencial de amor e compartilhamento a ajudar ao próximo, aos mais necessitados. Outros preferem a existência solitária, ensimesmados. Inegavelmente a grande maioria procura o par perfeito, a alma gêmea, e nesse caminhar aprendem a ser pessoas melhores, mais completas e, quando encontram esse outro pré-destinado, a frase “foram felizes para sempre” se concretiza.

 

TERAPIA  DO  ALINHAMENTO  ENERGETICO

CURA INTERIOR

   

           Terapia breve onde o inconsciente ganha voz através do terapeuta, que entra em ressonância com o tema trazido pelo consulente, reproduzindo verbal e corporalmente a causa, que subjaz no inconsciente. Através desse método de terapia é possível entrar em contato com causas de problemas físicos, psíquicos e padrões viciantes de repetição.

          O objetivo é realinhar e equilibrar os corpos físicos e emocionais, tirando-os de padrões instáveis decorrentes de doenças, desconfortos físicos, instabilidade emocional e inadequação profissional.

          O Alinhamento Energético dá voz ao inconsciente de pessoas que têm incapacidade de se comunicar. Gestantes se beneficiam desse recurso, acalmando suas mentes e tirando preocupações, ao entrar em contato com a energia vibracional do embrião ou feto.

          Essa terapia breve é focada em um único atendimento, que pode ser feito presencialmente ou à distância. Para mais informações, entre em contato através do site.

           É possível alinhar seu Mapa Natal para integrar todos os aspectos, desde as conjunções até as oposições, passando pelos sextis, quadraturas, trígonos e quincunces. 

A  LUA  NO  MAPA  INFANTIL

          O Mapa Natal pode ser analisado a partir do momento em que o bebê nasce. Nesse primeiro ano de vida as atenções se focam nas funções regidas pela Lua e por Mercúrio. Esse luminar e esse planeta são extremamente rápidos e trabalham muito nesse período. Não é raro ver o signo da lua da criança repetido nos Mapas Natais dos pais, com seus Ascendentes, Sol, Lua, regente do Ascendente, regente do Sol ou stellium no mesmo signo lunar do filho. Isso também pode ser visto com os signos do Ascendente ou Sol do bebê, em relação aos Mapas dos pais. É o chamado DNA astrológico, criando uma identidade astrológica familiar. Nesse artigo vou me ater à posição da Lua nos signos e seus diversos significados.

          A alimentação é uma das importantes funções lunares, e durante a primeira infância está relacionada também com a nutrição emocional. A forma como a mãe amamenta influencia os comportamentos emocionais futuros, onde a comida poderá ser usada como compensação ou punição. Por esse motivo tudo que cerca o ato de amamentar, alimentar o bebê deve ser visto com muita atenção. Uma criança com Lua em Capricórnio e que a mãe não pode amamentar por qualquer motivo, não será um problema se essa mãe der a mamadeira, pelo menos uma vez ao dia, concentrando-se integralmente no ato. Deverá estar com a criança no colo, ambas relaxadas, em um ambiente calmo e silencioso, e enquanto dá a mamadeira a mãe cantar suavemente, ou ficar acariciando o bebê, olhando-o nos olhos. Esse vínculo é tão importante quanto oferecer o próprio peito. O inverso também é verdade, e isso pode ser visto, às vezes, em crianças com Lua nos signos de Ar, onde a mãe amamenta no peito mas enquanto o faz está com a atenção voltada para outros assuntos, e a criança se ressente disso.

          Pela Lua, signo onde se encontra e casa do Mapa podemos analisar toda a linhagem materna, e a herança que esse bebê terá das matriarcas da família. Também sinaliza o que deve ser feito para dar segurança emocional a esse bebê que acaba de nascer. Olhar com atenção para a Lua e trabalhar desde cedo todas as suas possibilidades influenciará na saúde emocional desse indivíduo, ainda em formação.

          Quanto aos aspectos para a Lua não falaremos nesse artigo, mas também são muito importantes para fazermos previsões rápidas nesses primeiros meses de vida. Um exemplo: um bebê que teve intolerância ao leite materno assim que nasceu, estando a Lua em conjunção, quadratura ou oposição a Netuno no Mapa Natal, assim que por graus simbólicos o aspecto fique exato, indicará que nessa medida de tempo, em meses, o problema se resolverá.

          Durante as mudanças de signo logo após o nascimento podemos ver o humor do bebê se alterando. Nos seus trânsitos verificamos seu ganho de peso. A fase em que está durante o nascimento – sua posição no Mapa Natal em relação ao Sol - também é importante e veremos tudo isso a seguir.

Lua nos Signos e Alimentação 

          A primeira leitura é feita pelo elemento do signo. Luas em signos de Fogo indicam crianças ativas, impetuosas, que choram alto e procuram uma forma de chamar atenção para si. Quando estão com fome choram alto e esperam muito pouco tempo para serem atendidas e alimentadas. São bebês que mamam mais avidamente e demonstram suas emoções de forma mais aberta e com tendência ao exagero.

          Luas em signos de Terra dão as qualidades de calma, sossego e tranquilidade. Estar confortável é importante para mamar melhor. Um bebê com a fralda suja estará desconfortável e, consequentemente, mamará menos ou ficará resmungando enquanto estiver sendo alimentada. Esses bebês podem esperar um pouco mais pela hora do leite, mesmo já estando com fome. Quando vierem a chorar reclamando, será porque a fome passou do nível suportável.

          O elemento Ar fornece pistas lunares de bebês sem um padrão muito definido, com dificuldades para se adaptar a uma rotina de sono e alimentação. É comum notar bebês que mamam um pouquinho de cada vez, várias vezes ao dia. É aconselhável conversar com esse bebê enquanto está sendo alimentado, pois ele gosta de barulho, do som da voz humana. Estando distraídos com algum brinquedo ou com a atividade ao redor podem esquecer de chorar pedindo comida.

          Os bebês com lua nos signos de Água são bastante sensíveis e emocionais, com tendência a exagerar quando se machucam, ou quando estão com fome. Preferem comidas líquidas ou pastosas. Enquanto estão sendo amamentados costumam pegar no sono, e fazem do peito da mamãe uma chupeta. Estando com fome podem suportar um pouco sem choramingar, mas é bem provável que usem a chupeta ou o dedo para sugar enquanto a comida não chega.

          Estando a Lua na Casa 6, nos signos de Touro, Leão, Escorpião ou Aquário, devemos manter a criança quieta até que faça a digestão, caso contrário poderá vomitar. Os aspectos planetários que a Lua forma também podem indicar vômitos constantes ou refluxo.

Áries: Mama avidamente. Chora alto quando está com fome. Gosta de sabores salgados, picantes e que produzam energia rapidamente.

Touro: Mama com calma, demoradamente, sentindo prazer. Precisa estar confortável e limpa. Gosta de sabores adocicados.

Gêmeos: Mama pouco, várias vezes ao dia. Gosta de ouvir a voz da mãe enquanto é alimentada. Gosta de beliscar e tem preferência por bebidas gasosas.

Câncer: Mama bem, principalmente se estiver de bom humor. Gosta de lácteos e massas.

Leão: Mama avidamente, mas aceita com facilidade outros tipos de alimentos. Gosta de carnes, salgados e picantes.

Virgem: Mama em horários certos, é capaz de aguardar um tempo com fome sem reclamar, até que seja alimentada. Estômago sensível. Gosta de comidas naturais e que se desenvolvem dentro da terra ou rente ao solo.

Libra: Mama moderadamente e busca nesse ato a interação com a mamãe. Deve ser um momento de conversa, alegre e leve. Gosta de doces elaborados e um prato bonito e bem decorado.

Escorpião: Mama avidamente e pode também começar a exercer sua aptidão para o controle solicitando comida fora de hora, apenas para ter a mamãe à sua disposição. O desmame precisa ser feito com muito cuidado. Gosta de comidas picantes e apimentadas.

Sagitário: Mama várias vezes e bem, pois seu apetite é grande. Gosta de comidas exóticas e está sempre disposto a experimentar novos pratos.

Capricórnio: Mama regradamente, pouco, mas tentará mamar por muito tempo, até que mamãe decrete que é hora de parar. Pode ser também que não mame no peito porque, por algum motivo, a mãe foi impedida de amamentar. Gosta de comidas naturais, grãos e pães.

Aquário: Mama fora de hora, é irrequieto, totalmente sem padrão ou rotina. Gosta de comidas agridoces, fast food, congelados. Consumirá frutas desde que já venham sem caroço, casca e cortadas em pedaços.

Peixes: Dorme no peito ou pode usá-lo como chupeta. A mãe deve ficar atenta e acordá-la suavemente, sem sustos, para continuar a mamada interrompida. Estando bem alimentada dormirá por horas seguidas. Prefere as comidas líquidas, vitaminas, sucos e sopinhas cremosas.

Lua nos Signos e Sono 

          Outra função lunar no Mapa Infantil é mostrar como é o sono dessa criança. Geralmente sua localização em signos de Água e Terra favorece um sono tranquilo, com muitos sonhos, desde que o local onde durmam seja calmo. Nos signos de Fogo e Ar o padrão de sono é irregular, enlouquecendo quem delas cuida pois tiram cochilos breves e acordam com toda disposição para brincar. Isso quando não trocam o dia pela noite!

Áries: Criança ativa e mesmo que esteja com muito sono vai ficar de mau humor pois quer continuar brincando. Nesses momentos, tudo é motivo para chorar e fazer birra.

Touro: Criança mais sossegada e que se estiver limpa e bem alimentada dormirá bem, acordará e ficará quieta.

Gêmeos: Criança que não mantém um padrão de sono, oscilando entre sono leve e pesado, tirar cochilos ou dormir por muitas horas seguidas.

Câncer: Criança que solicita a presença da mãe para colocá-la na cama. Gosta de ter um determinado objeto consigo na hora de dormir.

Leão: Criança que quer os pais juntos para colocá-la na cama. Costuma dormir e acordar cedo.

Virgem: Criança que rapidamente entra num ritmo de sono regular, e precisa disso para descansar e acordar bem.

Libra: Criança que precisa de um brinquedo junto a si enquanto dorme. Sono mais leve e adora ser acordada com beijos e afagos.

Escorpião: Criança que pode até dormir sozinha, mas ficará melhor se toda a família ficar junto a ela enquanto se prepara para dormir. Dorme pouco, mas profundamente.

Sagitário: Criança mais agitadinha e para acalmá-la na hora do sono tenha sempre um livro de histórias à mão.  Padrão irregular de sono.

Capricórnio: Criança que cedo se acostumará a dormir sozinha, desde que tenha uma luz acesa no quarto. Regrada, apreciará o respeito aos horários de dormir e acordar.

Aquário: Criança totalmente fora de rotina, tem noites que dorme bem, outras que tira rápidos cochilos, dorme profundamente ou acorda por qualquer barulho. 

Peixes: Criança dorminhoca, sonhadora, no momento em que bater o sono ela fechará os olhos e dormirá em qualquer lugar, com ou sem barulho ao redor.

Fases da Lua de Nascimento 

          A fase em que está durante o nascimento também fornece pistas sobre o modo de agir. Crianças nascidas na Lua Nova precisam de um pouco de privacidade para entrar em contato com os próprios sentimentos, analisar a situação e se decidir, porque para elas sempre existirão muitas possibilidades. Nascidas na Lua Crescente tem potencial para criar. Mas necessitam de incentivo sinalizando que estão no caminho certo para seguir em frente. Nascidas na Lua Cheia precisam de relacionamentos, não gostam de fazer as coisas sozinhas. Nascidas na Lua Minguante tem pressa de realizar, de finalizar as coisas.

Lua em Signos Cardinais 

          A criança que nasce com a Lua em Áries, Câncer, Libra e Capricórnio tem uma energia de prontidão, uma resposta imediata para tudo. Entra no colégio e já faz amizades, começa um esporte e já mostra suas habilidades. Se ocorrer o inverso, entrar por exemplo na natação e não gostar, não adiantará insistir porque ela não irá ter um melhor desempenho com o passar do tempo.

Lua em Signos Fixos 

          Nascidas com a Lua em Touro, Leão, Escorpião e Aquário precisam de um tempo a mais para mostrar sua performance. Inclusive na escola ela irá deslanchar nos estudos na metade final do ano letivo.

Lua em Signos Mutáveis 

          Crianças com Lua em Gêmeos, Virgem, Sagitário e Peixes são aquelas que começam a curtir as férias no final, porque precisam de um tempo maior para absorver mudanças, embora se adaptem facilmente a novas situações quando as entendem por inteiro. Geralmente estudam para as provas na véspera.

 

          Obviamente precisamos analisar o Mapa Natal como um todo, e os aspectos que os planetas fazem entre si, bem como sua disposição por signos e casas podem dar outro matiz aos conceitos colocados acima, embora a essência permaneça. Vale ressaltar que não existem “luas boas ou ruins”, conforme o signo em que estejam, mas sim um padrão que faz parte da personalidade da criança, e que deve ser explorado e incentivado em seu melhor, para que os bebês cresçam saudáveis física e emocionalmente.

O  LADO  NEGRO  DE  VENUS

          O planeta Vênus frequentemente é associado à beleza, refinamento, benefícios recebidos, senso estético apurado, diplomacia e conciliação. Rege dois signos do zodíaco, Touro e Libra. Em Touro mostra seu lado sensorial através do exercício de três sentidos – tato, olfato e paladar - buscando conforto nas escolhas. Em Libra mostra seu lado estético através dos dois sentidos restantes – visão e audição -. Uma das funções principais de Vênus é a das escolhas, e é aqui que veremos seu lado negro se manifestando.

          O conceito de sombra e luz planetária, nas interpretações astrológicas, é bastante conhecido entre os astrólogos. Planetas e signos têm esses dois atributos que são mostrados como se fosse uma escala que começa na iluminação total e, gradativamente, vai esmaecendo até chegar ao escuro total. Em última instância podemos dizer que o escuro são os defeitos enquanto a luz são as qualidades. Nas análises facilmente identificamos e relacionamos planetas benéficos apenas com as qualidades edificantes e os planetas maléficos com os defeitos desprezíveis. Esquecemo-nos que o conceito maniqueísta de bom e mau não se aplica a planetas, signos ou aspectos planetários. Talvez por esse vício associamos Vênus e Júpiter, por exemplo, a eventos e assuntos agradáveis; a prêmios e gratificações recebidos, mas, realinhando o foco analítico, encontraremos ambos como agentes de eventos não tão edificantes ou agradáveis. Nesse artigo serão mostradas algumas pistas para detectar o lado negro de Vênus.

          Como responsável pelas escolhas, o planeta Vênus será acionado todas as vezes em que nos deparamos com situações onde existe a necessidade de fazer uma opção. Escolhas significam tomar partido entre duas ou mais opções. Nesses momentos é como se estivéssemos trilhando um caminho único e, repentinamente, nos deparássemos com uma bifurcação onde precisaríamos escolher entre pegar o caminho da direita, o da esquerda ou simplesmente retornar sobre os próprios passos, desistindo de seguir em frente. Escolhas são feitas baseadas em nossa cartela emocional pois procuramos satisfazer desejos e, para tanto, usamos todo o conhecimento consciente e as motivações inconscientes para exercer o direito de escolha. Temos uma configuração de Vênus (escolhas), Lua (emoções e motivações inconscientes), Mercúrio (análise da situação, conhecimento prévio adquirido e método de ação), Sol (ego colocado em funcionamento que ordenará a ação) e Marte (ação propriamente dita). São os planetas pessoais envolvidos em todo o processo que foi detonado pela escolha venusiana.

          Relutamos em olhar para Vênus e associar com ações más, pois o que primeiro nos vêm à mente é amor, beleza, bom gosto, bons modos e equilíbrio. Uma das imagens usadas para o signo de Libra é a da Justiça, de olhos vendados com a balança na mão, indicando que as decisões dessa deusa não se pautam pelas aparências, pela visão (as aparências enganam). Se tirarmos um dos cinco sentidos seremos mais justos em nossas escolhas? Com os olhos cobertos ficaremos à mercê da audição, e argumentos baseados em falácias poderão, sim, nos induzir a uma escolha injusta. Precisamos, portanto, estar de posse dos cinco sentidos venusianos para exercer o direito de escolha, seja ela focada no lado negro ou no claro.

          A escolha de Páris já nos mostra Vênus agindo com seu lado garota má. Éris, a deusa da discórdia, em vingança por não ter sido convidada para um casamento no Olimpo, surge no meio do banquete e joga uma maçã de ouro com a inscrição “para a mais bela”. A maçã rola e para entre Hera, Afrodite e Atena. Cada uma reclama para si o título de mais bela e pedem a Zeus que decida qual deveria ser premiada. Ele não quer complicações, pois Hera é sua esposa, Atena sua filha e Afrodite é a beleza personificada. Sabiamente chama Hermes e manda que ele acompanhe as três até Páris, um belo rapaz mortal, dando—lhe a incumbência de decidir. Páris, percebendo que escolhendo apenas uma incorreria na ira das outras duas, declina, mas Hermes, avisa que é uma ordem a ser obedecida sem discussão. Hera informa que se escolhida lhe dará reinos e riquezas materiais. Atena oferece a vitória em todas as batalhas justas. Afrodite acena com o amor da mais bela mortal. Páris olha para as três e avalia as ofertas. Aceitar riquezas e um grande reino significa ter as outras duas unidas para tirar-lhe o poder. Aceitar a vitória nas batalhas significa ter as outras duas unidas guerreando eternamente contra ele. Pareceu que a escolha do amor da mais bela mortal seria inofensivo a si próprio, e decide por Afrodite. Ela sabia que a paixão e o desejo são capazes de cegar e induzir a uma escolha que, posteriormente, se mostrará inadequada, ou com consequências desastrosas. O final da história é bastante conhecido, quando ele se apaixona por Helena, a mulher mais bela dentre as mortais, casada com o rei Menelau e esse amor será o estopim para a guerra de Tróia.

          Quando olhamos o Mapa Natal, como detectar a Vênus funcionando no lado negro ou no oposto? Uma das dicas é a retrogradação. Vênus retrógrado indica que as escolhas da pessoa serão inadequadas, mas não necessariamente escolhas más. Uma vez que esse planeta tem como uma das funções primordiais decidir, quando em movimento retrógrado indica que a pessoa tende a optar por coisas, pessoas e situações que não lhe trarão bons resultados posteriores, ou que não são os melhores para si. A comida inadequada causa danos à saúde. O relacionamento inadequado traz frustrações. Outra dica é Vênus em signos de terra (Touro, Virgem e Capricórnio). Segundo Ptolomeu, em Touro está no domicílio noturno, e na triplicidade diurna nos três signos de terra. Em Virgem está em queda. A análise por signo diz como Vênus expressa o sentimento, mas quem agirá será Marte, de acordo com esse plano traçado previamente. Convém olhar se Vênus está em conjunção com estrela fixa. Olhar também as qualidades primitivas dos planetas e características dos signos. Ptolomeu diz que Vênus é quente (masculino) e úmido (feminino). Ibn Ezra, Lilly, Abu Ma’shar, Bonatti e Al Biruni dizem que Vênus é frio (feminino) e úmido (feminino). Quanto à posição em relação ao Sol, temos Vênus ocidental ou oriental, Lúcifer-Phosphorus-Estrela da Manhã ou Vésper-Hesperus-Estrela da Tarde.

          Podemos olhar para esses fatores descritos acima no Mapa Natal, mas sabemos que as análises não são feitas tirando de seu contexto planetas, signos e aspectos e elaborando teorias ou conclusões. O Mapa é um todo, e assim deve ser analisado.

          Voltando à mitologia, temos o relato da tragédia de Medeia onde os dois lados de Vênus estão bem mostrados. O rei Esão, pai de Jasão teve o trono da Tessália usurpado pelo irmão Pélias. Jasão cresce e decide reaver o trono que era seu por direito. Quando Jasão reivindica-o, recebe a missão de ir até a Cólquida, onde está o velocino de ouro, e retornar com ele para retomar o trono. Eetes é o rei da Cólquida e tem uma filha, Medeia. Como não tinha intenção de entregar o velocino dá algumas missões impossíveis para Jasão realizar, a fim de recuperar o tosão de ouro. Medeia sabe das intenções do pai, mas apaixona-se por Jasão e resolve ajudá-lo. Mesmo vencendo todas as provas, Medeia sabe que o pai não pretende deixar Jasão partir com o velocino. Pegam o velocino, e fogem, mas Medeia rapta o irmão mais novo, levando-o na Argos. Aqui começa a se mostrar a face negra de Vênus, pois ao começar a perseguição dos soldados de Eetes em seus barcos, ela mata o irmão e esquarteja-o, lançando os pedaços ao mar. Os barcos dos soldados se dispersam, na captura de todos os pedaços do corpo, para levá-los de volta ao rei, que os juntaria para poder enterrá-lo de acordo com o costume real. Com isso a Argos se adianta, ganha tempo e chega ao destino em segurança.

          Retornam a Tessália e Pélias recusa-se a devolver o trono. Medeia usa suas artimanhas, enganando as filhas do rei, dizendo que deveriam matar e esquartejar a pessoa que queriam ver rejuvenescida, entregando os pedaços a ela que faria a mágica. As moças matam o pai e, ao perceberem que foram enganadas, se suicidam.

          Jasão e Medeia tiveram filhos, e foram morar em Corinto. Lá, o rei Creonte resolve casar sua filha Creusa com Jasão. Para tanto, Jasão repudia Medeia e os filhos. Antes de sair da cidade, Medeia envia um vestido e joias enfeitiçados para Creusa. Ao usá-los seu corpo começa a queimar. O pai tenta salvá-la e também é incendiado. Medeia completa sua vingança contra Jasão matando os filhos que tivera com ele. O que era amor e devoção ao amado, a Vênus iluminada, cede a vez ao amor traído, magoado e enraivecido, a Vênus sombra. Afeição e ódio são as duas faces da mesma moeda chamada amor. A paixão existe nas duas faces, ama-se e odeia-se apaixonadamente.

          No dia 19 de maio de 2012, em São Paulo, ocorreu um assassinato que ficou conhecido como o caso Yoki. O empresário Marcos Kitano Matsunaga, de 42 anos, foi morto por sua mulher Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos, que ele conhecera quando era prostituta e estavam casados desde outubro de 2009. Tiveram uma filha em 2011. Elize, que vivia um conto de fadas, saindo da prostituição e se casando com um empresário rico, descobre, no início de 2012, que estava sendo traída. Sua vida muda e, com receio de ser prejudicada financeiramente em um divórcio, planeja o assassinato. Ela confessou tê-lo matado com um tiro na cabeça de pistola, e em seguida esquartejou o corpo, limpou a cena do crime, colocou os pedaços do corpo em uma mala e foi se desfazendo deles em locais diferentes.

          As semelhanças entre esse assassinato e a história de Medeia são muitas. O crime por amor, a traição, filhos sacrificados pelos atos da mãe, o esquartejamento, os pedaços do corpo sendo lançados em locais diferentes (na tragédia para ganhar tempo, e na vida real para despistar a polícia e também ganhar tempo).

           Elize Matsunaga nasceu em 29 de novembro de 1981, às 15:30h, em Chopinzinho, PR, Brasil. Tem Vênus ocidental em Capricórnio (frio e seco), signo que faz contas no relacionamento. Está no domicílio e termos de Saturno, face do Sol, em conjunção com Deneb Okab, da natureza de Marte e Júpiter, indicando figura de autoridade com capacidade para tomar decisões. Predominância de Fogo e Cardinal que confere iniciativa e entusiasmo. Marte em Virgem que executa com método, assepsia e precisão. Vênus é vespertina, Hesperus, feminina.

          Outro crime famoso foi o caso Fritzl, quando Josef Fritzl construiu alguns cômodos no porão de sua casa, raptou a própria filha de 11 anos e trancou-a lá, mantendo uma relação incestuosa. O caso chocou o mundo e tem semelhanças com o mito do rapto de Perséfone por Hades. Os dados de nascimento dele, 09 de abril de 1925, em Amstetten-AUS. Também tem Vênus ocidental, vespertina em Touro (frio e seco), nos termos de Júpiter e face de Saturno.

           Vênus tem, portanto, seu lado escuro, menina má. Quando na zona iluminada ela ama, mas se algum evento a empurra para o lado sombra ela machuca e mata.      

 

PERFIL  FINANCEIRO  DOS  SIGNOS

      Cada um dos signos tem suas particularidades, e aqui vamos analisar o comportamento econômico-financeiro de cada um. Para que a análise seja mais certeira, seria bom você ter o seu Mapa Natal calculado, e ler a informação referente ao signo que ocupa a segunda Casa de seu Mapa. Há nuances, que podem ser vistas analisando-se a presença de planetas na Casa 2, ou a situação em que está o planeta que rege o signo da Casa 2. Entretanto, mesmo ficando nas generalidades, dá para ter uma ideia desse comportamento, mesmo que  leia apenas sobre o seu signo.

Áries: Compra por impulso. Não é um consumidor compulsivo mas, quando vai às compras, é do tipo que vê, experimenta (se tiver tempo) e já vai logo perguntando onde fica o caixa. Não gosta de aglomerações e quer ser atendido logo.

Investidor: corre riscos sem pensar muito.

Touro: Ligado em bazares e boas liquidações. Sabe o endereço de todos os outlets das grandes grifes. Tem um faro para descobrir a única peça sem defeitos, numa bacia de duzentas camisetas. Valoriza cada centavo em boas compras.

Investidor: observador, investe no garantido, mesmo que renda pouco.

Gêmeos: Gasta com livros, cursos, assinaturas de revistas e jornais. É capaz de entrar em um shopping, passar batido por 8 lojas de roupas, entrar na megalivraria e estourar o cartão de crédito (e entortar a coluna) saindo com uma pilha de livros.

Investidor: diversifica, aplicando em diferentes modalidades.

Câncer: Gasta com a família, com uma casa que acomode bem a todos. O primeiro item, seu orçamento, são as despesas com alimentação. Seu closet está sempre cheio, porque não se desfaz de roupas antigas. Mantem uma relação sentimental com seus pertences.

Investidor: investe pouco e em aplicações sólidas e tradicionais.

Leão: Poupa para poder esbanjar mais adiante em um jantar, uma comemoração ou adquirindo um relógio de marca. Pode passar dez meses sem comprar um sapato, mas quando o fizer será confeccionado sob medida, confortável e caro. Gosta de presentear.

Investidor: investe após aconselhar-se com analistas experientes.

Virgem: Organiza a planilha de gastos e não foge um milímetro do planejado. Prefere produtos ecologicamente corretos e saudáveis. Pesquisa preços, faz orçamentos, discute técnicas mais eficazes. Faz as compras com a calculadora na mão.

Investidor: criterioso, investe apenas no que garante determinado lucro.

Libra: Focado nas necessidades dos outros, acaba comprando presentes para todo mundo. Depois disso, sente-se justificado para comprar algo realmente especial para si. Prefere pagar mais caro, mas ser atendido com requinte, que encarar fila em liquidações.

Investidor: procura um analista e segue direitinho as dicas.

Escorpião: Procura o máximo de informações antes de comprar qualquer coisa. Sabe que nem sempre o mais caro é o melhor. Não compra por impulso nem para afirmar status. Negociador implacável, só pagará o valor justo. Capaz de atravessar a cidade para adquirir o produto desejado.

Investidor: examina por um tempo o comportamento do mercado, e escolhe a melhor opção.

Sagitário: Compra mesmo sem precisar e, se necessário, avança no cartão de crédito sem pensar duas vezes. Paga caro pela grife pois sabe que, atrelada a uma boa marca, está a alta qualidade. Grande consumidor de viagens ao exterior. É capaz de gastar tudo para adquirir um produto novo.

Investidor: aposta todas as fichas na promessa de maior lucro; megainvestidor.

Capricórnio: Sabe se valorizar, planejar o futuro poupar e comprar com sabedoria. Sua casa não é a maior, nem a mais vistosa, mas sim a mais segura. Seu carro não é importado, mas é econômico e obterá excelente valor no mercado de revenda.

Investidor: estuda o mercado, simula os riscos e vai na boa.

Aquário: Pode gastar muito em algo que realmente precise, mas sempre deixará uma reserva, embora não seja de controlar o saldo bancário. Tem uma poupança, mas não a alimenta regularmente. Não liga para grifes. Pode andar de chinelo, mas possuir o último modelo de laptop.

Investidor: tem preferência por aplicações conjuntas, ou em fundos.

Peixes: Não sabe ao certo quanto ganha, nem quanto tem guardado. Não costuma pesquisar preços. Tanto pode comprar um produto de grife quanto algo mais simples, desde que goste. Não se fixa em modismos, priorizando conforto e beleza.

Investidor: segue as flutuações do mercado, sem arriscar muito.

                                      

ASTROLOGIA  CABALISTA

 

 

  

 

ANO  NOVO  PELA  ASTROLOGIA  CABALISTA

         

          Quando ocorre a Lua Nova de Áries surge a oportunidade de trabalhar com consciência o ano novo astrológico que se inicia. Lembrando que o calendário judaico para esse assunto é lunar, portanto o “dia” começa ao por do Sol. Os doze primeiros dias do mês de Áries representam os doze meses do ano astrológico que se inicia com essa Lua Nova. O foco em cada dia, com a energia de cada um dos doze signos, é importante para saber quais ações devem ser feitas no sentido de buscar a Luz. Para o ano de 2014 o primeiro dia se inicia no por do Sol do dia 31 de março, o segundo dia no por do Sol do dia 1 de abril e assim sucessivamente.

Primeiro dia: Energia ariana. Evitar conflitos, embates e reações agressivas intempestivas. Procurar harmonizar e agir pensando no outro.

Segundo dia: Energia taurina. Sair da zona de conforto. Evitar a indolência e a procrastinação.

Terceiro dia: Energia geminiana. Procurar aprofundar tudo que se dispuser a fazer. Transmitir a informação.

Quarto dia: Energia canceriana. Acolher e nutrir as pessoas próximas. Seguir em frente sem focar no passado. Esquecer as mágoas.

Quinto dia: Energia leonina. Exercitar a criatividade e buscar seus talentos. Procurar fazer junto com o outro, evitando mandar ou delegar.

Sexto dia: Energia virginiana. Fazer uma pausa e descansar das atividades rotineiras. Aconselhe no lugar de criticar. Ensine o outro a fazer melhor.

Sétimo dia: Energia libriana. A indecisão não favorece nenhum dos lados. Exercer o poder de decisão com convicção.

Oitavo dia: Energia escorpiana. Ao lidar com crises, manter a frieza e eficiência. Evitar rancores e sentimentos de vingança. Usar o poder para construir.

Nono dia: Energia sagitariana. Distribuir conhecimento e sabedoria. Ter fé. Lembrar que o mundo não gira ao redor de si.

Décimo dia: Energia capricorniana. O trabalho enobrece mas também escraviza. Seja senhor de sua vida material e espiritual.

Décimo-primeiro dia: Energia aquariana. Assumir a correção do Tikun Ha Nefesh (individual) refletirá no Tikun Olam (geracional). Ações individuais mudam o resultado coletivo.

Décimo-segundo dia: Energia pisciana. Entrar em sintonia com as necessidades do outro sem contaminar-se por elas. Trilhar o autoconhecimento para depois auxiliar aos necessitados.

ROSH  HASHANAH  -  O  JULGAMENTO  CONSTRUTIVO

 

         

          O início de um novo ano judaico ocorre nos dois primeiros dias do mês de Tishrê (setembro no calendário civil), a partir do momento em que a lua nova de Libra* surge no céu. Rosh quer dizer “cabeça” e Hashanah “o ano”. Durante esses dois dias abre-se o portal do julgamento pessoal, onde cada um avalia, julga e sentencia as ações do passado. Temos a oportunidade de relembrar o que fizemos no ano anterior, colocar nos pratos da balança (Libra) o que foi positivo e negativo e decidir o que queremos mudar ou reafirmar no ano que está iniciando.

          O julgamento construtivo consiste nessa reflexão, pois além de não ser um julgamento compulsório, também não há um sentenciamento punitivo. O portal está aberto, a possibilidade existe, mas apenas atravessaremos o portal se decidirmos (Áries) por um recomeço.

          A cabeça, em astrologia, está relacionada com o signo de Áries e o julgamento com o signo de Libra. A Astrologia Cabalística trabalha sempre com o eixo zodiacal, portanto lança sempre uma luz sobre a Sombra (conceito junguiano) que a Persona (Ascendente do Mapa Natal) lança sobre o outro (Casa 7 do Mapa Natal que é a Sombra projetada). Ao lançar a Sombra no Outro surge a possibilidade de vermos com clareza esse aspecto de nossa personalidade ainda não integrado, portanto, nesse período, está aberto o portal para integrar a Sombra à Persona. Por ocorrer em um momento de Lua Nova, onde temos o Sol (ego) e a Lua (id) entrelaçados, a oferenda do universo é ver/julgar construtivamente todos os aspectos de nossa personalidade e atos, com a possibilidade de construir uma história melhor, diferente, completando o Self.

          Após esses dois primeiros dias há um período de sete dias, que nos remete ao ciclo de Saturno (superego), onde visualizamos e construímos o futuro, passo a passo, cotidianamente, para chegar ao Yom Kipur.

          Lançamos as sementes a partir do primeiro dia do Rosh Hashanah e no Yom Kipur encerra-se esse ciclo e reinicia outro.

          Nos dois dias de Rosh Hashanah come-se o peixe, que simboliza o andar contínuo para a frente, dentro do elemento água (que não discrimina e a todos acolhe, que é emoção e inconsciente) e que está presente nos líquidos do corpo humano, do mundo e origina a vida. Come-se também a maçã com mel, tornando o que é doce e agradável ainda mais doce e agradável; unindo o reino vegetal ao animal. Por fim, come-se o pão Chalah Agulah, que é trançado e redondo, simbolizando o infinito onde não há princípio nem fim e a união, pelo entrelaçamento, do ser humano com seu trabalho integrado à natureza (plantio, semeadura e colheita), a alegria do renascimento na colheita, a inteligência em transformar o produto da terra em alimento e a felicidade em saborear esse alimento com todos os semelhantes.

          Completando a simbologia do Rosh Hashanah temos o toque do Shofar, que é um instrumento feito do chifre do carneiro (Áries) que será tocado nesse período, despertando nossa consciência, quebrando as resistências e nos guiando para um caminho onde os dias serão doces e bons.

          Que venha o ano novo judaico e que ele seja bom e doce para todos! Shanah Tovah Umetukah!

*O calendário judaico é lunar e se baseia na observação do céu visível após o por do Sol. Nesse ano de 2014 a lua nova de setembro ocorre no signo de Libra, dia 24/09/2014, visível no céu noturno, permanecendo nesse signo até o por do Sol do dia 26/09. Não confundir “lunação” (evento onde Sol e Lua estão em conjunção) com “lua nova” (período que vai da lunação até a lua crescente)

 

A  CABALA  ASTROLOGICA

         A Cabala tem uma área que se dedica ao estudo dos planetas, as relações que fazem entre si e sua posição no zodíaco. Na Torá há referências claras a isso, inclusive a relação dos 12 filhos de Jacó e a posição das 12 tribos de Israel são bastante claras na relação com os 12 signos e suas qualidades.

          Ela não usa a mandala zodiacal circular, mas sim a colocação dos planetas na Árvore da Vida. A análise é centrada no desenvolvimento da alma, e usada como uma das ferramentas para a cura de males físicos. É comum que, ao consultar um cabalista versado nessa Astrologia, o consulente receba orientação para uso de determinados alimentos, pedras, pantáculos e cores, que proporcionarão o equilíbrio de espírito, mente e corpo.

          A Árvore da Vida é constituída de 10 Sefirot, conforme o diagrama. A Sefirá mais alta, Keter, não recebe nenhum planeta. Portanto vamos dar como exemplo a colocação do Sol, de acordo com a data de nascimento, nas demais Sefirot. A seguir, a característica básica de quem nasceu com o Sol posicionado em cada uma delas:

01/01 a 10/01 – Sefira Biná

Pessoas austeras e que possuem grande força de trabalho.

 

11/01 a 19/01 – Sefirá Chéssed

Pessoas que trabalham visando não apenas seu sucesso, mas também o bem estar dos outros.

 

20/01 a 29/01 – Sefirá Guevurá

Pessoas altruístas e com preocupações universais. Desejam reformar o mundo.

 

30/01 a 08/02 – Sefirá Tiféret

Pessoas com forte atuação dentro de grupos sociais. Interessadas em política.

 

09/02 a 18/02 – Sefirá Nêtsach

Pessoas voltadas para a vida social, amizades e sabem aproveitar o que de bom esse convívio proporciona.

 

19/02 a 28/02 – Sefirá Hod

Pessoas ligadas ao mundo das artes e que sabem se expressar com propriedade.

 

01/03 a 10/03 – Sefirá Iessód

Pessoas introspectivas, com um rico universo interno. Emocional acentuado.

 

11/03 a 20/03 – Sefirá Malchut

Pessoas generosas e capazes de sacrifícios pessoais para auxiliar o próximo.

 

21/03 a 30/03 – Sefirá Chochmá

Pessoas dinâmicas, impulsivas e rápidas. Entre pensar e agir o tempo é muito curto.

 

31/03 a 09/04 – Sefirá Biná

Pessoas com iniciativa e qualidades de liderança. O pensamento é direcionado para a ação.

 

10/04 a 19/04 – Sefirá Chéssed

Pessoas que pensam com o coração. Suas atitudes são instintivas e intuitivas.

 

20/04 a 30/04 – Sefirá Guevurá

Pessoas que têm impulso para ganhar e acumular bens. Apetite aguçado.

 

01/05 a 10/05 – Sefirá Tiféret

Pessoas que procuram conforto, segurança e que buscam a auto-afirmação.

 

11/05 a 20/05 – Sefirá Nêtsach

Pessoas com senso de estética apurado, ligadas no aspecto de troca nos relacionamentos.

 

21/05 a 31/05 – Sefirá Hod

Pessoas que se destacam pela comunicação. Talento para escrita. Bons oradores.

 

01/06 a 10/06 – Sefirá Iessód

Pessoas que buscam informações e são curiosas. Bons professores.

 

11/06 a 21/06 – Sefirá Malchut

Pessoas que usam o pensamento para concretizar. Bons planejadores.

 

22/06 a 01/07 – Sefirá Chochmá

Pessoas intuitivas, que usam o conhecimento para ajudar ao próximo.

 

02/07 a 12/07 – Sefirá Biná

Pessoas que sabem trabalhar as emoções com racionalidade, pois controlam as emoções.

 

13/07 a 22/07 – Sefirá Chéssed

Pessoas amorosas e acolhedoras. Resistentes a novas situações.

 

23/07 a 02/08 – Sefirá Guevurá

Pessoas que usam os recursos internos para planejar. Provedoras e generosas.

 

03/08 a 12/08 – Sefirá Tiféret

Pessoas com qualidades de liderança. Apreciam o belo. Gostam de ter e propiciar conforto.

 

13/08 a 22/08 – Sefirá Nêtsach

Pessoas que buscam parcerias que a ajudarão a alcançar metas.

 

23/08 a 02/09 – Sefirá Hod

Pessoas incansáveis e que trabalham com afinco. São práticas e realistas.

 

03/09 a 12/09 – Sefirá Iessód

Pessoas ligadas ao bom funcionamento do corpo. Preocupadas com higiene, dietas e saúde.

 

13/09 a 22/09 – Sefirá Malchut

Pessoas que desenvolvem métodos funcionais. Trabalham com precisão.

 

23/09 a 03/10 – Sefirá Chochmá

Pessoas equilibradas em suas decisões, justas e imparciais.

 

04/10 a 13/10 – Sefirá Biná

Pessoas duras em seu julgamentos. Éticas e honradas navida pessoal e pública.

 

14/10 a 23/10 – Sefirá Chéssed

Pessoas compreensivas, compassivas, amorosas e ligadas às artes.

 

24/10 a 02/11 – Sefirá Guevurá

Pessoas disciplinadas, seguras e que exercem seu poder com força.

 

03/11 a 12/11 – Sefirá Tiféret

Pessoas que sabem se impor e lidam bem com o poder. Respeitadas naturalmente.

 

13/11 a 22/11 – Sefirá Nêtsach

Pessoas que vivenciam as parcerias com muita intensidade.

 

23/11 a 02/12 – Sefirá Hod

Pessoas que buscam o conhecimento com afinco. O mundo das ideias é rico.

 

03/12 a 11/12 – Sefirá Iessód

Pessoas com fortes interesses em outras culturas. Gostam de viagens mentais e reais.

 

12/12 a 21/12 – Sefirá Malchut

Pessoas que gostam de transmitir seus conhecimentos, e pretendem deixar sua marca pessoal em grandes feitos.

 

22/12 a 31/12 – Sefirá Chochmá

Pessoas decididas e racionais. Destacam-se pela perseverança em atingir objetivos.

 

ANÁLISE  DO  MAPA  DO  CORINTHIANS  PREVÊ  VITÓRIA

SOLSTÍCIO  DE  DEZEMBRO

 

         

          Aqui no Hemisfério Sul temos o Solstício de Verão ocorrendo com a entrada do Sol em Capricórnio. Nesse ano de 2012, em especial, há uma atenção maior em torno da data por ser 21/12/2012, última data assinalada no calendário Maia das Contas Longas. Ao ver todos os eventos descritos por eles no decorrer do ano de 2012, alguém interpretou como um sinal do fim do mundo. Grande bobagem!

          Esse ano teve um eclipse de Vênus, algo que não é muito comum. Os eclipses têm um ciclo, pois obedecem a uma repetição. Esse venusiano ocorrido em 2012 foi o último de sua série. Poeticamente, os Maias chamavam os eclipses de “morte”. Sendo assim, escreveram no calendário que seria “a última morte de Vênus”, por se tratar do final de um ciclo. Outro evento foi a passagem das Plêiades no zênite, sobre a pirâmide de Chichen Itza. Eles se diziam filhos das plêiades, e aguardavam ansiosamente esse raro momento para cultuá-las. O terceiro e último acontecimento astronômico registrado pelos Maias é o posicionamento do Sol no centro do grande buraco negro que ancora nossa galáxia. Sim, nossa galáxia tem em seu centro um enorme buraco negro. O alinhamento do Sol no ponto central exato desse buraco negro se dará daqui a aproximadamente 200 anos. Certamente nessa data haverá outra comoção mundial em torno da data, e mais uma vez dirão que o fim do mundo ocorrerá.

          Verdadeiramente temos um calendário fiel aos acontecimentos astronômicos. Jamais os Maias escreveram que teríamos o fim do mundo. Parece que tais notícias se plasmam na energia das pessoas que, descontentes com suas vidas, mas medrosas para mudá-las, aguardam que algo de fora venha e provoque uma mudança drástica. Da mesma forma que o fogo precisa do oxigênio para continuar existindo, essas notícias cíclicas e recorrentes precisam de mentes preguiçosas, medrosas e que têm preguiça de pensar por si.

          Astrologicamente temos um Mapa do Ingresso do Sol em Capricórnio, para o Brasil, com Ascendente em Aquário. Seu regente tradicional, Saturno, elevado e em Escorpião, em quadratura com o Ascendente.  As mudanças necessárias e que serão detonadas nessa data serão profundas, mas nada fáceis. Será difícil largar o osso. Seu dispositor tradicional, Marte, na Casa 12 e sem aspectos maiores, em exaltação. Portanto as atitudes serão mais inconscientes, as mudanças começarão de dentro para fora, mas continuará sendo difícil protagonizá-las. Nas regências modernas, Urano que rege o Ascendente está na Casa 3, das comunicações. Por aspectos a interpretação pode ser que as relações de amizades e os grupos sociais terão papel preponderante na divulgação da boa informação. Resumindo: o discurso é ótimo mas na hora de partir para a ação...as pessoas querem esperar mais um pouquinho antes de sair da zona de conforto. Plutão, regente moderno do Meio do Céu, em mútua recepção com Saturno, está em conjunção com o Sol capricorniano dando todo o poder para que se instaure uma nova ordem. Ele funciona como a coroação do rei, legitimando, aos olhos públicos, a força do supremo mandatário. Ele está em quadratura com a Lua, passando por cima de todo sentimentalismo. Não é hora de chorar, mas sim de arregaçar as mangas e trabalhar. Não é hora de perder tempo com sentimentos feridos.

          Olhando para esse céu, desse dia, e imaginando que esse Sol fisicamente estará alinhado com o centro da galáxia, é hora de pensar no propósito pessoal de vida. O que desejo para mim e, sem transferir responsabilidades, ver o que eu posso fazer pela humanidade. A humanidade começa nos meus familiares, amigos, vizinhos e vai se estendendo até chegar na pessoa – ou no animal – mais distante de mim. O que eu faço aqui repercute lá. Se o fim do mundo significar o fim da zona pessoal de conforto, o importar-se com os atos que alteram o meio ambiente, então que o fim do mundo seja mais que bem-vindo! O fim desse mundo atual, com pessoas surtando e matando inocentes, com pessoas morrendo de fome, com pessoas definhando sem liberdade de expressão, com pessoas agredindo a natureza e sendo vítimas dessa mesma natureza agredida. Que essa Lua Crescente no signo de Áries dê o start para um 2013 melhor. Lembrando sempre que 2013 não será regido por Saturno, pois tem Marte como planeta mais forte no Mapa de Ingresso do Sol em Áries.

 

ANÁLISE  DO MAPA  NATAL  DO  PALMEIRAS

ENTREVISTA PARA ASTRAL DA SEMANA - UOL

EQUINÓCIO DE PRIMAVERA NO HEMISFÉRIO SUL

          A data em que o dia e a noite tem a mesma duração ocorre no grau zero do signo de Libra. É uma data importante e significativa em diversas culturas, geralmente ligadas a fertilidade.

          Na roda zodiacal Libra é o primeiro signo da segunda metade do círculo. No eixo Áries-Libra temos o princípio individual em uma ponta, e o dual na outra. Dois seres se unem e procriam, perpetuando a espécie. A minha real imagem só existe quando o outro me devolve esse olhar.

          As versões para o mito da primavera são bonitas e todas têm em comum a procriação, a fertilização. Na bela leitura do mito celta, em As Brumas de Avalon, Arthur incorpora o Gamo Rei (solar), que após copular com a Deusa (lunar) é legitimado como rei, garantindo que a crença tradicional coabite com a religião oficial.

          A mitologia grega apresenta a história de Perséfone, virgem raptada por Hades, o deus das profundezas, onde não há luz. Perséfone (solar) era a única filha de Deméter, que presidia as colheitas. Entristecida com o sequestro da filha, decide não mais cuidar da terra. O solo fica infértil, plantações e animais ressecam e morrem. Zeus interfere, ordenando que Hades devolva a jovem à mãe. Ele diz ser impossível, pois Perséfone já era sua mulher. Encontra-se uma solução, bem libriana, para a situação: Perséfone passará metade do ano com o marido – no período correspondente ao outono e inverno – e, na primavera, voltará para a mãe, na superfície, ficando também o verão com ela. Por isso temos os meses escuros, frios, quando as folhas caem, representando a dor da mãe Deméter, vivendo sem a filha. Com o retorno da filha ao convívio com a mãe, a alegria volta ao coração materno, que passa a fertilizar novamente a terra.

          Nesse mito, temos Perséfone, representando o Sol por viver na superfície terrestre, sendo jovem, bela e cheia de vida, mas ligada ao princípio lunar, feminino, emotivo. Aliás, o único a presenciar o rapto é o próprio Sol. O raptor, Hades, é o deus do escuro mundo subterrâneo, como uma noite sem lua, mas estratégico e racional. Seu reino precisa de uma lua, e ela vem na figura da jovem que passa metade do ano recebendo a luz e o calor do Sol, para refleti-los no submundo, na outra metade do ano.

          Nas cartas de tarot a Imperatriz é representada, geralmente, como uma mulher grávida. Está associada com germinar, gestar, fluir e com o planeta Vênus. Ela combina ordem e caos. Na Árvore da Vida ela liga o Caos (Chochmá e Urano) à Ordem (Biná e Saturno); a Sabedoria à Vontade; o Pai e a Mãe; Emoção e Razão; princípio lunar e solar.

          Dentro de mais alguns dias terá lugar o Rosh Hashaná, marcando o início do mês de Libra no calendário hebreu, no mês de Tishrê. Os seis meses anteriores são de plantio, e a partir da celebração judaica tem início os seis meses da colheita. O mês de Tishrê é representado pela letra Lamed, preposição que significa “para”, uma ligação em direção a alguém. Jacó, abençoando Benjamim, em Gênesis 49:27 “Benjamim é lobo que despedaça; pela manhã devora a presa e à tarde reparte o despojo.” Pela manhã é Áries e à tarde é Libra.

          A Deusa das Plantas junta-se ao Senhor das Matas. A roda da vida gira mais uma vez. Dentro das pessoas, yin e yang se associam para criar o equilíbrio, a vida e o futuro.

MOISÉS  E  QUÍRON

          Ao estudar Astrologia Cabalística, pude ver que Quíron é bastante usado e tem uma grande importância nas análises. Isso, por si só, causa surpresa pois esse saber é milenar, os textos que contêm tal referência são antigos e, na Astrologia Moderna Ocidental, somente começamos a usar Quíron a partir de sua descoberta, em 1977. A surpresa aumenta quando é feita a associação entre Quíron e Moisés, e nos textos sagrados antigos existe a explicação para isso.

          A palavra hebraica para chifre e brilho tem a mesma grafia, embora a pronúncia seja um pouco distinta. Keren é chifre e Karan é brilho, radiação. Isso deve ter dado origem à confusão feita durante a tradução dos textos bíblicos, informando que após falar com D’us a face de Moisés resplandecia e de sua cabeça desprendia-se uma aura de luz. A tradução foi feita com a palavra chifre (Keren) e baseado nesse texto Michelangelo produz a escultura de Moisés com chifres. Interessante notar que Kyron – Keren – Karan são palavras bem parecidas.

          Vamos à história de Moisés. Os hebreus viviam escravizados pelos egípcios. O Faraó, vendo que a população se multiplicava, manda que sejam mortos por afogamento todos os nascidos do sexo masculino. Joquebede está grávida e dá a luz a um menino. Ela o esconde por três meses quando resolve colocá-lo no Nilo, à própria sorte, para viver ou morrer segundo a vontade de D’us. Ela faz um cesto de junco, coloca a criança dentro e manda sua filha Mirian colocá-lo no rio.

          A correnteza começa a levá-lo e Mirian vai acompanhando, na margem, para ver o que se sucederá. A filha do Faraó está, nesse momento, banhando-se no rio. O cesto encalha nas plantações da margem, o bebê começa a chorar, ela ouve e manda que suas servas averigúem o que está ocorrendo. Elas retornam com o cesto e o bebê. Mirian, que estava escondida, aproxima-se discretamente. A filha do Faraó percebe que o bebê é hebreu mas decide ficar com ele. Entretanto, comenta que não tem como amamentá-lo. Mirian se adianta e diz que pode conseguir uma mulher que esteja amamentando para cuidar dele. A moça pede então que ela vá buscá-la. Mirian retorna com Joquebede, que passa a ser paga para cuidar do próprio filho, sem poder revelar a ninguém tal segredo. Quando ele fica maior, é devolvido ao palácio e passa a ser criado como egípcio e neto do Faraó.

          Já adulto e sabendo que não era neto do Faraó, se aborreceu ao ver um egípcio ferindo um hebreu. Enraivecido, fere e mata o soldado egípcio. O Faraó volta-se contra Moisés que acaba fugindo do Egito para não ser morto.

          Os anos passam, o rei do Egito morre. D’us aparece a Moisés e ordena que ele retorne ao Faraó, com a missão de tirar os hebreus de lá e guiá-los à Terra Prometida. Após relutar, Moisés retorna ao Faraó. Dez pragas depois o Faraó concorda em libertar os filhos de Israel e Moisés passa a guiá-los na jornada.

          Em determinado momento não havia água para o povo. Moisés intercede junto a D’us que lhe diz para tocar a rocha com o cajado, que a água brotará. Entretanto Moisés ficou enraivecido com as reclamações dos israelitas e, em lugar de tocar, golpeia a rocha com força. Efetivamente a água jorra, mas D’us castiga sua desobediência dizendo que ele verá Canaã e morrerá em seguida, sem entrar na Terra Prometida.

          Há uma frase na Cabalá que resume a vida de Moisés: “Passou 40 anos de sua vida pensando que era alguém, 40 anos descobrindo que não era ninguém e 40 anos vendo o que D’us faz com um ninguém.”

          Agora vamos as similaridades entre Moisés e Quíron. Abandonado pela mãe ainda bebê, foi acolhido pela filha do Faraó que lhe proporcionou uma educação de altíssimo nível. Quíron é abandonado pela mãe que o deixa à própria sorte e Apolo o adota passando a ensiná-lo. Moisés cresce em um país estrangeiro. Quíron vai viver no Monte Pélion, longe de seu lugar de nascimento. Moisés sofre a dor da identidade e da injustiça. Quíron é ferido acidentalmente e não consegue se curar. Moisés é um homem que fala diretamente com D’us, o que o coloca em condição de semidivindade. Quíron era filho de um deus e de uma ninfa, o que o deixa na condição de semidivino. Moisés aceita a missão e se prepara da melhor forma para executá-la. Quíron vai adquirindo todo tipo de conhecimento com o intuito de se curar. Moisés guia o povo como conselheiro, curador, sacerdote e sábio. Quíron passa a ensinar seus discípulos e curar a todos que o procuram. Por fim, Moisés leva seu povo a concluir a missão com êxito, concretizar a ocupação de Canaã, enquanto ele não pode ser curado da ferida de haver ofendido a D’us. Avista do alto do monte a Terra Prometida e morre ali. Dizem as escrituras sagradas que o próprio D’us o enterrou. Quíron, no final do mito, consegue trocar de lugar com um mortal, falece e Zeus o transforma na constelação do Sagitário.

ECLIPSE DE VÊNUS

          Quando falamos de Vênus, imediatamente surge a ideia de perfeição, beleza, equilíbrio das formas. Ao examinarmos a órbita desse planeta ao redor do Sol, verificamos que ela forma um círculo quase perfeito, diferentemente dos demais planetas, que apresentam órbitas elípticas mais excêntricas. Mais adiante veremos outras relações de perfeição e equilíbrio, nos demais padrões formados pelo caminhar de Vênus no universo.

          Os eclipses venusianos também seguem uma simetria curiosa. A cada 243 anos ocorrem cinco, completando um ciclo que se repetirá de forma idêntica. O ciclo obedece o seguinte padrão: 105,5 anos após o primeiro ocorre o segundo, depois de 8 anos o terceiro, passados 121,5 anos o quarto e, 8 anos após, o quinto e último.

          A seqüência atual é:

1º      04/06/1769    

2º      09/12/1874

3º      06/12/1882

4º      08/06/2004

5º      06/06/2012

          Procurando por um padrão no eixo dos signos de Gêmeos e Sagitário, onde ocorrem os eclipses, encontramos alguns eventos marcantes, próximos às datas, que tem correlação com as qualidades desses signos. Notamos também o nascimento de personagens de importância histórica nos períodos de tempo considerados.

          Em junho de 1769, o engenheiro francês Nicolas-Joseph Cugnot inventou a primeira carruagem a vapor e, a partir dela, surgiria o automóvel. Automóveis e locomoção são assuntos relacionados a Gêmeos. Um governante que se destacaria no futuro nasceu nesse ano, em agosto de 1769: Napoleão Bonaparte, hábil general que tornou-se imperador da França.

         No ano de 1874, a humanidade testemunhou o surgimento de uma nova invenção: o telefone. Sua criação iniciou-se com Antonio Meucci, italiano de Florença, que desde criança realizava experimentos científicos. Tornou-se médico e, enquanto cuidava da dor de cabeça de um paciente com um fio de cobre colocado na boca do doente, descobriu acidentalmente que o som emitido pelo paciente se propagava. Viu ali a oportunidade de inventar algo que revolucionaria as comunicações. Era o ano de 1849, e ele se mudou para os Estados Unidos, onde achava ser possível desenvolver seu invento, batizado de teletrófono. Fabricou cerca de 30 protótipos do telefone mas, sem dinheiro, não conseguiu registrar a patente. Em 1874, bateu na porta da Western Union Telegraph e entregou seus projetos, com a promessa de que estudariam seu caso. Os papéis “desaparecem” nos arquivos e, dois anos depois, Graham Bell registra a patente. Mais um evento relacionado a Gêmeos e as comunicações. Em novembro de 1874 também nasceu Winston Churchill, futuro primeiro-ministro britânico responsável por liderar os esforços de seu país durante a Segunda Guerra Mundial.

          Em 1882, Thomas Alva Edison construiu a primeira usina hidrelétrica. No ano seguinte, também patenteou a válvula elétrica, precursora da válvula de rádio; mais um evento na área das comunicações. Em janeiro de 1882, nasceu Franklin Delano Roosevelt, que se tornaria presidente dos Estados Unidos e, ao lado de Churchill e Stálin, lideraria os Aliados contra o Eixo na Segunda Guerra Mundial.

          O ano de 2004 não viu surgir nenhum grande invento, mas tivemos um evento tristemente marcante, o tsunami asiático, que comoveu a população do mundo. A onda, de proporções gigantescas, originou-se de uma ruptura na placa oceânica. Observa-se, aqui, a expressão de características típicas de Gêmeos e Sagitário, porém não sob a ótica de uma revolução tecnológica. Comecemos por Gêmeos, que tem como qualidade principal a comunicação. A catástrofe natural serviu para mostrar o enorme potencial dos meios de comunicação terrestres: imediatamente após a tragédia, televisão, jornais e internet já estavam saturados de manchetes, imagens e vídeos que traziam, em primeira mão, a dimensão do desastre. No que tange a Sagitário, temos a expressão da expansão tanto literal como metafórica. O tsunami, deslocamento de enorme massa de água, progressivamente se expande a partir de seu epicentro, agregando mais água e multiplicando sua força. Contudo, a expansão mais significativa se deu no campo da consciência global: o acontecimento foi o gatilho para a expansão mundial do pensamento humanitário, mobilizado na ajuda às vítimas, bem como da consciência ecológica, impulsionada pela ideia do tsunami como resposta ou reação do planeta à depredação natural antrópica e pela conseqüente conscientização da pequenez humana frente às forças naturais. A expansão destas duas correntes de pensamento também expressa a qualidade ética de Sagitário. Quanto ao nascimento de alguém de relevância política ou histórica, em 2004, somente o tempo dirá.         

          O eclipse do próximo ano (2012) foi apontado pelos Maias como sendo a última morte de Vênus. No Calendário Maia das Contas Longas, esse é um dos eventos capitalizados para disseminar a ideia de que o fim do mundo ocorrerá em 2012.

          O ano sinódico venusiano produz uma bela e significativa representação gráfica, o pentagrama. A cada 8 anos o planeta nasce 5 vezes, a intervalos de 584 dias, no mesmo lugar do céu, porém 7 signos à frente. Na quinta e última vez renasce no mesmo ponto físico e quase no mesmo grau zodiacal onde nasceu 8 anos antes. Unindo esses pontos, surge a figura de um pentagrama.

 

  

 

          Além de ser uma figura geométrica bastante significativa por representar o desenho do homem arquetípico perfeito, o pentagrama também usa o segmento áureo (derivado do número 5) para ser desenhado. Para os Maias esse último eclipse de Vênus em 2012 sinalizava o final da quinta idade solar, ou seja, o fim de um ciclo e não necessariamente o fim do mundo.

 

          O movimento aparente do Sol no céu também forma uma imagem interessante, o símbolo do infinito, que é desenhado no céu durante o período de um ano. É feita uma marcação de sua posição, diária e sucessivamente, à mesma hora e tendo como ponto de observação o mesmo local. À figura que se forma, semelhante a um oito inclinado, dá-se o nome de analema solar.

 

 

          Quando um planeta está tão próximo do Sol, a uma distância de até 17 minutos de arco solar, dizemos que ele está “cazimi”. O termo significa “no coração do Sol”. Nessa posição, astrologicamente falando, sabemos que o planeta está imantado do brilho solar, funcionando em seu melhor e numa proporção maior. O planeta se encontra em posição privilegiada. Quando Vênus se encontra assim, tem suas funções potencializadas. Conhecida como a pequena benéfica, planeta benfeitor, rege os signos de Touro e Libra. Touro está associado com prazer, conforto, produção otimizada e aquisição de bens. Libra está associada com estética, bom gosto, diplomacia, compartilhar e olhar atento às necessidades do outro.

          Da mesma maneira, os outros planetas e luminares regem outros signos com suas respectivas qualidades. O Sol rege o signo de Leão, e está associado a brilho, ensino, produção personalizada, generosidade protetora, fazer com prazer e paixão. As qualidades do signo de Gêmeos são a comunicação, busca pela informação, curiosidade, locomoção e rapidez. Sagitário tem as qualidades de conhecimento especializado, ética, política, leis, religião, expansão, transmissão de informações para muitas pessoas e para locais longínquos. Todas as qualidades citadas são apenas algumas de cada signo, as que refletem e explicam melhor esses eclipses e os eventos por eles desencadeados.

          Logo, é possível observar que as conjunções de Vênus com o Sol, nos signos de Gêmeos e Sagitário, podem apontar para criações humanas originais (invenções) que facilitam a vida da humanidade, trazendo conforto, conforme as qualidades venusianas. Isto, entretanto, não é regra, como é evidente no caso do tsunami de 2004, onde as qualidades geminianas e sagitarianas se expressaram de maneira particular. Vênus também se manifestou, neste contexto, através da solidariedade para com o próximo. Há, contudo, um denominador comum a todos os eclipses de Vênus, constante e imutável: a ocorrência de eventos de importância mundial, responsáveis por mudanças significativas a nível global. 

          O universo fala através de símbolos e tanto o pentagrama quanto o infinito continuam a nos enviar mensagens a cada dia e a cada ciclo completado. No dia 6 de junho de 2012 esses símbolos estarão interligados, através do eclipse Vênus-Sol. Certamente a mensagem cifrada não representa o fim do mundo (pelo menos não o fim do mundo físico), mas um encerramento, uma morte simbólica. Não um apocalipse, mas antes um processo de renovação, o questionamento de valores e noções antigas para abrir novas perspectivas à civilização. Que a consciência solar, unida a estética venusiana, se reflitam de maneira positiva na construção de novos paradigmas.

 

ASTROLOGIA, DA VINCI E NETUNO

          No Castelo de Chambord, no Vale do Loire (França), a escada principal foi projetada por Leonardo da Vinci. Uma escada nem sempre é apenas uma escada, e essa é especial. Ela tem o formato da dupla hélice do DNA, e isso significa que tem duas escadas entrelaçadas, duas entradas opostas, e se duas pessoas iniciarem a subida ao mesmotempo, uma em cada entrada, chegarão ao topo sem jamais se encontrar.

          Olhando a foto fica mais fácil entender o mecanismo. Leonardo da Vinci era um gênio, um homem com conhecimentos muito além de seu tempo. Mas é curioso notar que suas invenções, vistas hoje em dia, se parecem mais como se um de nós retornasse ao passado e, com os materiais rudimentares da época, tentasse construir um helicóptero, um submarino ou deixar registrado o conhecimento da cadeia helicoidal do DNA. Pensando assim, Leonardo da Vinci poderia ser um contemporâneo nosso que tenha descoberto como manipular tempo e espaço para nascer no ano de 1452. Isso é apenas uma provocação. Na verdade, quero falar sobre símbolos e realidade.

          Vivemos num mundo de especializações, onde procuramos um ortopedista para cuidar do problema na patela, porque outros ortopedistas se especializaram em cuidar da coluna, por exemplo. A visão é fragmentada. Isso se aplica a diversas áreas de conhecimento, e vemos especialistas em

          Com a entrada de Netuno em Peixes, retorna a possibilidade de podermos enxergar o todo, indiscriminadamente, despidos de pré-conceitos. A beleza da escada de Da Vinci só pode ser vista e entendida quando nos afastamos um pouco para ver o conjunto. Caminhando nela temos apenas metade da visão. Simbolicamente essa é nossa realidade, de conhecimento fragmentado e pulverizado por diversas culturas. Cada uma foi seguindo acreditando deter a verdade absoluta, subindo por um dos lados da escada e, efetivamente, chegando ao topo. Quem escolheu subir pelo outro lado chegará ao topo da mesma forma. Essas pessoas são conhecedoras profundas do caminho que trilharam, mas não entenderam o funcionamento do todo, não apreenderam o conhecimento do mecanismo da escada dupla. Para entender o todo, há a necessidade de usar a mente (Netuno em Aquário, elemento Ar, coletivo), absorver todo o conhecimento produzido até então, afastar-se das facções e pequenas verdades (ou verdades relativas), para adquirir a sabedoria absoluta. É necessário enxergar o mundo com humildade, aprender com tudo e todos, sem barreiras, sem divisões e com a mente aberta para ver que a escada de Da Vinci é, na verdade, composta de duas, um conjunto que só funciona e existe quando percorrida pelos dois lados. Astrologia Tradicional debatendo com os astrólogos modernos, estes criticando os astrólogos psicólogos, os últimos torcendo o nariz para os cabalistas e por aí vai.

          Quando estudamos diversos métodos, abordagens, escolas e estilos, sempre vamos encontrar uma identidade. Astrologia Cabalística, Clássica, Moderna, Psicológica ou qualquer outra abordagem que exista são complementares, jamais excludentes. A beleza está em ver que, como diziam Ouspensky e Gurdjieff, a verdade foi fragmentada mas, acredito, com Netuno em Peixes, que os fragmentos pouco a pouco começam a se reunir, como um grande puzzle, e fazem todo sentido. Caminhamos para um ponto comum, inevitavelmente, e é possível ver que as escolas iniciáticas e herméticas abrem suas portas e bibliotecas. As diversas escadas são uma só, partindo de um mesmo ponto e chegando ao mesmo lugar. As diversas astrologias, religiões, seitas, escolas iniciáticas, ordens e oráculos respondem às mesmas perguntas com soluções iguais. Netuno retorna ao lar e nós, mortais, podemos ver e sentir que o deus dos mares está em sua casa, que engloba toda a água do planeta, assim como a de nossos corpos (compostos por cerca de 70% dela) e toda a água simbólica da emoção, compaixão e união.

          A partir de 2012 Netuno definitivamente estará no signo de Peixes abrindo nossas mentes para a visão dessa nova realidade includente. Teremos a possibilidade de ver a verdade total, em todos seus ângulos, sem julgamentos, preconceitos, restrições ou condenações. Definitivamente o universo estará em nós, e navegaremos nas águas de Netuno sem nos afogarmos.

 

EXISTE UM 13° SIGNO?

          Recentemente houve grande polêmica acerca de um suposto 13° signo zodiacal devido a mudanças na posição de constelações com relação à Terra. O assunto foi esclarecido! Veja:

         "Astrônomos de Minnesota afirmam que, decorrente da atração gravitacional Lua-Terra, houve um realinhamento estelar, fazendo surgir um 13º signo. Essa é a notícia que circula na internet e, vale salientar, não é a primeira vez. A notícia gerou discussões, polêmicas e descontentamento entre as pessoas que sabem quais as características dos seus signos solares, e não se viam retratadas nas descrições de um signo diferente.

          Há uma confusão entre constelações e signos. No céu real nós temos estrelas, que formam constelações. Em um céu estrelado, ainda visível a olho nu em algumas cidades distantes de centros poluídos, é possível ver diversas constelações, de tamanhos variados. Temos, além das constelações que deram nome aos signos do zodíaco, outras tantas, ultrapassando o total de doze, e são objeto de estudo da Astronomia."

Para ler o resto do texto, clique aqui!

2013 – REGIDO POR SATURNO?

 

          Aqui no Brasil está amplamente disseminada a ideia de regência planetária anual de acordo com a seguinte sequência: Sol, Vênus, Mercúrio, Lua, Saturno, Júpiter e Marte, repetindo-se infinitamente. Assim, segundo essa colocação, o ano de 2012 foi regido pela Lua, o de 2013 por Saturno e 2014 será regido por Júpiter. Para embasar essa afirmação citam a Estrela dos Magos, a tradição caldeica (?) e outras perfumarias, dando uma pseudo-roupagem de Astrologia Clássica.

          Contra fatos não há argumentos, e agora que estamos já no último trimestre do ano de 2013 podemos ver claramente qual a natureza do ano em curso, se foi saturnina, se as ações ao redor do mundo foram de acordo com as funções de Saturno. Quando ocorreu o ingresso do Sol em Áries, que é quando os astrólogos se voltam para as previsões mundiais anuais, víamos naquele Mapa de Ingresso um Marte forte. Claramente indicava que 2013 seria um ano de atitudes marcianas, ao contrário do que diziam muitos astrólogos na imprensa sobre a regência ser de Saturno. Vamos relembrar os principais atos pessoais e coletivos que repercutiram nesse ano em curso.

          No Brasil os cidadãos começaram a se organizar contra o governo e políticos e saíram às ruas. Tudo começou com iniciativas individuais, apartidárias e contra os velhos esquemas. Houve uma resposta forte da polícia com armas e defesas de territórios. Isso gerou mais violência por parte dos manifestantes, e grupos oportunistas se infiltraram com ações violentas contra tudo e todos. No mundo, ações individuais como as de Edward Snowden colocaram nos noticiários países e seus dirigentes, com informações de espionagem sobre pessoas físicas, empresas e políticos. Diversas denúncias de agressões a pessoas e direitos civis provocando indignações, como vimos sobre estupros na Índia, maus tratos a animais e desrespeito a mulheres e direitos civis, como o caso da paquistanesa Malala.

          Para quem não está familiarizado com os significados astrológicos, uma breve explicação:

Marte: Pequeno maléfico. Ações individuais. Militarismo. Agressividade. Defesa de território. Luta. Briga. Liderança individual. Esportes individuais. Urgência.

Saturno: Grande maléfico. Autoridades. Perseverança. Restrição. Limites. Seriedade. Excelência. Demora. Velhice. Miopia. Auditoria.

          Agora que temos o ano próximo do final, que temos os significados desses dois planetas, que temos uns poucos exemplos dos fatos ocorridos nesse ano, certamente concordaremos que está sendo um ano regido por Marte, e não por Saturno como insistem muitos astrólogos brasileiros. 

Oops! This site has expired.

If you are the site owner, please renew your premium subscription or contact support.